História

Argumento Geopolítico do OSCAR MIKE 2022:

Enquanto o mundo teme uma ameaça viral de gripe, os mass media internacionais, esquecem uma guerra civil fantasma em plena zona costeira, Bamir, onde forças leais ao governo estabelecido tentam travar os intentos dos rebeldes ultranacionalistas, embora estes somam, já, no seu arsenal mais de 6 mil ogivas nucleares espalhadas por toda a Ex União dos Sovs e seus estados satélites.Descem as sombras no médio oriente, as marionetas políticas começam a sua dança que se traduzem em movimentos militares.

Na velha Euroland, o Presidente da Comissão da União Euroland em Março 2019, veio trazer a público o seu apoio a missões militares realizadas entre os Estados Membros, abrindo, assim, o caminho para a futura criação de uma “Central Euroland Forces” ou seja, um “Euro Taskforce”, tendo como base operações conjuntas e um orçamento de defesa comum.

Neste contexto Bamir enquanto zona costeira, situada na Pachaland, foi palco outrora de batalhas entre guerrilhas comunistas de um lado e as forças armadas do Sultão, Amir Hussein III, encabeçadas por conselheiros militares ingleses, do 22 º Regimento.

Estávamos na década de 70…

Hoje, a realidade é outra, existem fragmentos desse sultunato, que se traduzem em Senhores da Guerra. Alianças e pactos, para futuras vinganças a troco de poder e riqueza, são o quotidiano.
Neste quadro de caos, a ISAF é chamada a intervir, para mediar conflitos em Pachaland.

A Euroland e o seu Contingente europeu e norte Americanos, são recrutados pelos respectivos governos.
Há que garantir a paz, os cuidados médicos e a defesa de pontos estratégicos no sultanato!

Com todas estas novas tensões a surgirem no Médio Oriente, a ISAF (International Safety Allied Force) é chamada uma vez mais a intervir no controle e segurança daquela região.

Será a Europa, da fé e do cristianismo cada vez mais envelhecida e multicultural, capaz de gerir força militar para intervir?

Cabe-te a ti decidir!